terça-feira, 22 de setembro de 2009

Música Australiana

Os australianos tem como background a cultura e influência britânica. Isso pode ser percebido pelo idioma, pelos traços físicos além da arquitetura e gastronomia. Outras influências são a da cultura irlandesa e escocesa além é claro, dos aborígenes que residiam ali antes dos ingleses chegarem. Há uma diferenciação nos termos Australian Aborigene e Australian European que fica bem visível quando se visita o país. Os aborígenes já habitavam o território australiano antes da chegada dos primeiros colonizadores.
O principal traço distintivo cultural da Austrália é proveniente dos aborígenes que formam um povo único no mundo, de origem pré-histórica, de pele escura. É deles a origem do bumerangue e o nome do canguru.
Esse povo aprendeu ao longo dos anos a conviver com o deserto, encontrar água, no lugar chamado pelos brancos de Outback. Eles têm instrumentos, danças e músicas próprias.Os aborígenes foram os primeiros habitantes da Austrália ocupando este território por mais de 40 mil anos.
Estimados em 750 mil na época da colonização (século XVIII), falavam pelo menos 300 línguas diferentes, seus estilos de vida variavam de região para região e, por milhares de anos, eles formaram uma raça de caçadores nômades.
Hoje, a Austrália é considerada um país multicultural, com uma grande influência de asiáticos e indianos em sua população, além de diversos outros povos que migraram para lá em busca de melhores condições de vida.

Um dia típico na Austrália inclui muita atividade ao ar livre, sol e uma boa ópera ou cinema. O cenário artístico nacional é forte. Não é por acaso que a Opera House de Sydney é um dos símbolos mais importantes do país. Os talentosos cantores de ópera australianos, como Nellie Melba e Joan Sutherland, são famosos em todo mundo. A Opera Australia e o Australian Ballet, ambos sediados em Sydney, são os principais destaques deste meio.
Na Austrália cultura é coisa séria. Cada estado possui sua companhia de teatro e sua orquestra sinfônica. Há galerias de arte e museus espalhados por todo país. Pode-se encontrar desde trabalhos de nomes internacionais como também trabalhos de artistas nacionais e aborígenes. Estes últimos tem estado cada vez mais em evidência na australia, seja através de sua arte ou através da nova safra de filmes australianos, que começam a explorar mais o tema.

A música australiana tornou-se bastante popular no mundo depois do lançamento de bandas de peso na mídia como Bee Gees, Silver Chair, AC/DC, INXS e Midnight Oil. Existem muitas bandas de surf music na Austrália: Yothu Yindi, The Cruel Sea, Lime Spiders, Sunnyboys, Vanilla Chainsaws, Noiseworks, Hunters & Collectors, Dubrovniks, The Chevelles, The Johnny’s, Painters & Dockers, The Angels, The Church, Icehouse, e muitas outras.

O Didgeridoo é um instrumento de sopro dos Aborígenes australianos. O seu som é provocado pela vibração do ar. É tocado ao estilo do trompete, encostando os lábios a uma das extremidades. A sua principal característica é o som grave e ressonante que emite. Segundo alguns historiadores, é o
instrumento musical mais antigo do mundo, estimando-se que exista há aproximadamente 40.000 anos, devido a algumas pinturas rupestres encontradas na Austrália. O Didgeridoo é um tubo oco, escavado por térmitas, sem nenhum orifício para além das duas extremidades, com um bocal de cera de abelha e decorado com pinturas tradicionais. Tem forma cilíndrica ou cónica e o comprimento entre 1 a 2 metros. Podem ser feitos de vários materiais, como o eucalipto, o bambu, e também de PVC, vidro, plástico, papelão ou couro. Existem muitas lendas em relação à sua origem. Uma delas leva-nos ao tempo em que ainda não havia luz nem música no mundo. Um grupo de aborígenes apreciava uma fogueira, quando um deles reparou que um pedaço de madeira em chamas, estavam saindo pequenas térmitas. Rapidamente tirou aquele pedaço de madeira da fogueira e, vendo que era oco, apontou-o para o céu e soprou para salvar as térmitas daquela aflição. Desse sopro saiu o som do Didgeridoo e as térmitas voaram até ao céu, tornando-se em estrelas, que trouxeram a luz ao mundo. O som que cada instrumento emite depende do tipo de material de que é feito, do grau de secura desse material, do seu comprimento da espessura da parede, do diâmetro da sua cavidade, e da maneira como é tocado. O Didgeridoo permite fazer música de uma maneira diferente e altamente relaxante. Para o tocar nem sequer é necessário saber música. Basta ir experimentando e criando. Pode-se explorar toda a imensidão de sons que o Digeridoo permite, através de sopros de diferentes intensidades, de sons com a voz e de movimentos com a língua. Por essa razão o Digeridoo é também chamado de instrumento intuitivo. Este é um instrumento que está cada vez mais difundido pela Europa e pela América do Norte, estando cada vez mais na moda. A técnica da Respiração Circular, que consiste em encher as bochechas de ar e vaza-lo enquanto se inspira pelo nariz, permite tocar o instrumento por prolongados períodos de tempo, sem interrupção do som. Com ela, a pessoa que toca pode emitir sons contínuos por vários minutos. Descobriu-se também que aprender e praticar o Didgeridoo ajuda a reduzir o ronco e a apneia do sono e promove uma agradável e poderosa meditação. O Didgeridoo pode ser tocado sozinho, ou pode acompanhar outros instrumentos, dando uma composição muitas vezes surpreendente.

3 comentários:

  1. Assim como eu, muita gente não consegue ler o texto com fonte na cor azul e fundo preto. Apenas uma sugestão: mude a cor do fundo ou do texto.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir